Retenção de Líquido

A retenção de líquidos acontece quando há água demais entre as células do corpo, deixando-o inchado. São várias as causas relacionadas a isso: a alimentação, passar muito tempo na mesma posição, abusar de alimentos com sal e sódio ou devido a algumas doenças. Ela não costuma ser grave, mas pode trazer incômodos e questões estéticas.

Em alguns casos, no entanto, a retenção de líquidos pode estar relacionada a alguma doença mais séria. Por isso é importante procurar um médico caso os sintomas estejam incomodando ou presentes por muito tempo.

Quando o sangue chega às pernas, mas tem dificuldade para voltar ao coração, acontece uma grande saída de líquido do sangue para o meio intersticial, que é o espaço entre as células. Assim, ocorre a retenção hídrica no corpo.

Causas

retenção de líquido causas

As causas da retenção de líquidos podem estar relacionadas a:

  • Dieta rica em sal e sódio;
  • Pouca ingestão de água ou outros líquidos diuréticos, como chás;
  • Gravidez;
  • Ficar muito tempo na mesma posição, seja sentado ou em pé;
  • Problemas cardíacos;
  • Doenças renais;
  • Uso de alguns medicamentos;
  • Falta de atividade física;
  • Cirrose hepática;
  • Alterações no funcionamento da tireoide.

Sintomas

A retenção de líquidos costuma causar inchaços facilmente percebidos nas seguintes regiões:

  • Abdômen;
  • Rosto;
  • Pernas;
  • Tornozelos;
  • Pés.

Uma boa forma de identificar uma área inchada é pressionar o polegar nela, por cerca de 30 segundos. Se a região ficou marcada, quer dizer que há retenção hídrica. Marcas de meia no tornozelo ou de roupa apertada na cintura também podem ser bons indicativos.

Complicações

pé com retenção de líquido

Se a retenção de líquidos persistir por muito tempo, ela pode acabar causando alguns contratempos como:

  • Baixos níveis de sódio: muita água no corpo acaba dissolvendo o sódio a níveis muito baixos. Alguns sintomas que isso acarreta são fadiga, dores de cabeça, fraqueza muscular, náusea, irritabilidade e inquietação;
  • Dificuldade para respirar: a retenção de líquidos pode causar um edema pulmonar. O líquido se acumula nos pulmões, o que acaba dificultando a respiração e aumentando a pressão na artéria pulmonar. Em casos mais graves, o edema pulmonar pode aumentar o risco de insuficiência cardíaca;
  • Feridas na pele: em alguns locais específicos do corpo, a retenção hídrica pode causar feridas no atrito com os calçados, por exemplo. Em pessoas com risco de desenvolver úlceras de pressão, os machucados podem piorar;
  • Dores no peito: se a retenção estiver concentrada na região do peito e do abdome, a pressão pode causar dor e desconforto. É mais comum que pessoas com doença hepática, insuficiência cardíaca, infecção cardíaca e doença renal gerem retenção hídrica nesses locais.

Tratamento

retenção de líquido tratamento

Existem alguns cuidados que você pode tomar para evitar ou tratar a retenção de líquidos. Em últimos casos, um médico pode receitar o melhor diurético no seu caso. A retenção de líquidos também pode ser um sinal de uma doença mais grave, por isso é importante uma opinião profissional.

Experimente algumas das dicas abaixo:

  • Beba chás: os diuréticos podem combater o acúmulo de líquidos no corpo. Cavalinha, hibisco, canela com gengibre, chá verde, ginkgo biloba, salsinha, centelha asiática e castanha da Índia são bons exemplos. Os chás fazem com que a pessoa produza um maior volume de urina, repleta de toxinas, eliminando também o excesso de líquidos do corpo;
  • Faça exercícios físicos: a contração dos grupos musculares força o excesso de líquidos a ser eliminado pela urina. É comum sentir vontade de ir ao banho depois de 1 hora de atividade na academia. Os exercícios mais indicados para esse fim são a caminhada rápida, corrida, andar de bicicleta e pular corda. Os exercícios localizados podem ser somados à atividade aeróbica, para que tenham mais resultado;
  • Faça drenagem linfática: uma ótima estratégia para eliminar o excesso de água no corpo, ela pode ser realizada manualmente ou com a ajuda de equipamentos eletrônicos próprios. Clínicas estéticas especializadas costumam ofertas sessões de drenagem linfática por 3 a 5 vezes por semana, onde casa sessão dura de 45 a 60 minutos. É normal que a pessoa sinta muita necessidade de urinar após o método;
  • Beba cerca de 2,5 a 3 litros de água por dia;
  • Diminua o consumo de sal e experimente preparar os alimentos utilizando mais temperos naturais, que realçam os sabores;
  • Aumente o consumo de alimentos diuréticos, como melancia, pepino e tomate;
  • Evite o consumo de alimentos enlatados, embutidos e outros que contenham muito sal;
  • Evita os carboidratos refinados, como farinha e açúcar brancos. Eles levam a rápidos picos de açúcar e insulina no sangue. Níveis altos de insulina fazem com que o corpo retenha mais sódio, aumentando a sua reabsorção nos rins e aumentando o volume de líquidos dentro do corpo;
  • Procure não ficar muito tempo em pé, sentado ou com as pernas cruzadas. Mexa-se;
  • Adicione alimentos ricos em água ao cardápio. Alguns exemplos são rabanete, nabo, couve-flor, morango, melão, abacaxi, maçã ou cenoura.

Fontes:

http://www.scielo.br/pdf/rlae/v11n6/v11n6a06

https://www.revistas.usp.br/rlae/article/view/1451

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Topo